Pode entrar,o Blog é seu! Welcome to Blog! Since 30 july 2011

terça-feira, 31 de maio de 2016

Vocês afastaram a Presidenta para isso?



Se o discurso ideológico de quem defende sua opinião é desagradável para algumas pessoas, o radicalismo de quem não tem opinião e tenta desmontar a do outro, é muito mais. Vimos isso nos últimos meses durante a polarização dos que são contra e pró-impeachment. Quem defendia e ainda defende o impedimento da Presidenta o faz, ou fazia, de forma intuitiva e reprodutiva.

Nos frequentes debates não ouvimos defesa do impeachment de maneira consistente, fundamentada. O que vimos foram preconceitos, sexismo e o insuportável antipetismo que a mídia disseminou na sociedade. O tema ‘corrupção’ tem sido muito recorrente, e tem que ser, o país está afundado nela desde o seu descobrimento, mas as bocas que a repudiam são cheias dela.

O processo de impeachment está em curso, a Presidenta está afastada, o Senado deve votar em agosto. O governo impostor está a quinze dias no poder e já exonerou dois ministros por corrupção. O que seria uma ‘limpeza’ nas contas públicas se transformou em um derrame de lixo. O órgão internacional de combate à corrupção, a Transparência Internacional, emitiu nota de repúdio contra o ministro da transparência, agora exonerado.

O presidente gambiarra é vulnerável ao sistema corrupto que seu partido, o PMDB, comanda há décadas. Está virando eminência parda de seu próprio governo e passando recibo de fraco perante a comunidade internacional. Outros ministros serão exonerados, há pelo menos, mais sete envolvidos na operação lava jato.

Os meios de comunicação estão fazendo de tudo para manter o país ‘sossegado’ mas não estão conseguindo. Há ocupações em vários prédios como os do Ministério da Cultura, extinto pelos neoliberais; servidores entregaram seus cargos ante a permanência do ministro da transparência. Os repórteres e os comentaristas do PIG (partido da imprensa golpista) estão sofrendo um surto de gagueira, não conseguem esconder o nervosismo quando tentam explicar para a opinião pública a ‘merda’ que fizeram.

Ainda não sabemos o resultado oficial disso, mas as consequencias já estão aí distribuídas nas defesas, algumas inacreditáveis, de quem insiste em afirmar que não vivemos um GOLPE parlamentar, que Michel Temer representa a mudança, que o PSDB, aquele que está na bandeja, não vai vender o Brasil. Dizem por aí que, caso o impeachment seja rejeitado no Senado, Dilma Rousseff vai voltar e encontrar uma ‘armadilha’ governamental montada por esse grupo GOLPISTA, deixando seu governo amarrado aos acordos que estão promovendo.


In time: Na esfera estadual temos o governador Luiz Fernando Pezão afastado por motivo de doença. O governador interino, Francisco Dornelles, um velho político oportunista, disse que por ele o crime de estupro, como o que aconteceu com a adolescente na Praça Seca, é hediondo e merecia a pena de morte. #CasaUmComSuaOpinião.

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Reféns das bravatas



As coisas estão se desmontando, as panelas adormecem nos armários, os que aderiram ao impeachment estão desmoralizados, os domingos cariocas estão sem os ‘coxinhas’ uniformizados passeando nas praias, a FIESP não serve mais filé mignon aos patos na avenida Paulista.. A conta do GOLPE está chegando e não vai ficar barato.

Muitos deputados que votaram veementemente pelo SIM no Congresso, naquele circo dos horrores, quando dedicaram seus votos às causas mais estapafúrdias, estão escondidos da vida pública.

Como o deputado de Minas Gerais, Caio Nárcio, do PSDB, que justificou seu voto dizendo, enrolado em uma bandeira brasileira: "Por um Brasil onde meu PAI diz que decência é obrigação...". O pai do deputado, que é ex-deputado, foi preso nessa manhã por corrupção.

Quinze dias passados e o novo governo, o que iria salvar a pátria passa todo o seu tempo tentando salvar seus párias. O cerco está fechando em torno dos GOLPISTAS, após a divulgação das gravações do ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado.

Um ministro caiu em uma semana e, agora, um outro, o ministro da transparência, Fabiano Silveira, também está pendurado depois que aconselhou o presidente do senado, senador Renan Calheiros, a escapar das investigações e desestabilizar a operação lava jato.

Sem falar que o governo GOLPISTA acabou com os subsídios para programas sociais como o Minha Casa, Minha Vida, para a primeira faixa, aquelas famílias com renda até mil e oitocentos reais. Decretou o fim do Ministério da Cultura, tornando-o um ‘puxadinho’ do Ministério da Educação.

O Congresso aprovou a meta de déficit primário de cento e setenta bilhões, economia que o governo tem que fazer para pagar os juros da dívida, mas negou o mesmo benefício ao governo da Presidenta Dilma, mesmo com o déficit de oitenta bilhões, que representa menos da metade do atual aprovado, para provocar o aumento da crise econômica e a consequente impopularidade da Presidenta.

O governo fantasma avança na lama que se alimenta, criou a bravata da luta contra a corrupção e montou uma organização para acabar com os processos de investigações vigentes, ‘estancar a sangria’, como eles mesmos disseram, e agora são reféns de seus crimes parlamentares.

Em tempo: o estupro coletivo sofrido pela menor no Rio desnudou o machismo da nossa sociedade e a banalização da vida. O excesso de exposição virou obsessão, quanto mais hediondos forem os vídeos e as fotos, mais orgulhosos ficam seus autores.



Ricardo Mezavila.


domingo, 29 de maio de 2016

As escolhas que não fizemos





Imagine que, de repente, você acorde em um dia qualquer, um domingo, por exemplo, e perceba que tudo ficou estranho de um dia para o outro. Não é uma mudança física, você ainda conserva o sobrepeso, a calvície e a lombalgia, mas tem alguma coisa que não bate e que te incomoda.

Isso acontece muito mais do que imaginamos, mas não percebemos, porque não fazemos a leitura correta daquilo que está escrito nas pautas do tempo. A percepção de que ‘tudo ficou estranho’, é somente o sentimento inesperado daquilo que não escolhemos, mas que permanece em algum lugar, como aquele objeto que nunca mais usamos.

Não há nada de errado em imaginar como seriam nossas vidas se tivéssemos feito outras escolhas, se utilizássemos o ‘plano b’ com mais, ou menos frequência; se pegássemos mais, ou menos atalhos; mais, ou menos desvios.

O pacote completo daquilo que somos deve conter as considerações que poderíamos ter sido mais, ou menos sérios; mais, ou menos permissivos; mais, ou menos medrosos. E, por falar em medo, nada é mais repressor do que não ter a coragem de escolher a porta por qual entrar e, principalmente, a porta por qual sair, quando partir for a melhor escolha no momento.

Respire fundo, saia da frente do ‘estouro da boiada, ’ para não ser atropelado pela pressa de quem quer que você decida logo. Tenha calma para olhar o domingo com utopia e razão, mas não deixe de laçar um boi da boiada, tenha o cuidado de não deixá-lo na sombra, porque ele pode perder melanina e ficar pálido, escolha por deixá-lo no sol, com protetor solar.

Ricardo Mezavila.











            

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Essa noite eu vou cuspir na sua sepultura







Depois que Alexandre Frota, (argh!), foi recebido pelo ministro da educação, para apresentar um projeto que tem por base a desconstrução das ciências sociais, da sociologia, porque proíbe que se fale de política em sala de aula, seria o caso de chamar o cineasta José Mujica, o Zé do Caixão, para escrever uma sinopse que representasse o atual governo.


Esse governo já nasceu pronto para ser inspiração de filme de terror. Tem o presidente vampiro, Michel Temer; o ministro das relações exteriores, José Serra, que é conhecido como morcego ou aedes aegypit; ainda tem os apoiadores como Eduardo Cunha, o Freddy Krueger, que está no imaginário popular e Aécio Neves, o Miachel Myers, personagem sombrio que teria estrangulado a própria irmã.


As horripilantes declarações do deputado Jair Bolsonaro inspirariam diálogos fascistas, de conteúdos racistas, misóginos e homofóbico. Seria o discurso dos assassinos em série, que matariam negros, mulheres e gays. 


O deputado e pastor Marco Feliciano faria o papel do anticristo, porque engana, se apoia na tese errática de que “meu reino faz parte desse mundo’; não obedece aos mandamentos escritos nas tábuas de pedra. Feliciano tem rabo, chifre, é uma alma sem luz, uma imagem que não reflete”.


Fazendo ponta no thriller, os manifestantes pró-impeachment retornarão às ruas com seus uniformes pró-GOLPE, gritando palavras vazias e sem sentido. Serão os zumbis que atacam em grupo preparando o caminho para o ´conde Drácula' assumir o poder. 


Para a sustentação da história é preciso que haja um contraponto, aquele que se opõe ao estabelecido pela trama. Esse personagem pode ser inspirado no Deputado Federal Jean Wyllys. Tendo como defesa a saliva dos movimentos sociais, ele atinge o GOLPE com seu cuspe democrático, que pretende exorcizar da vida pública os mortos-vivos da política.


Ricardo Mezavila.



Desculpa, querida!




Com o cenário atual após o afastamento da Presidenta Dilma Rousseff, o enredo do GOLPE vai tomando forma e a trama vai sendo compreendida em capítulos. O STF, a maior instância do poder judiciário, está desmoralizado, seus ministros envolvidos em esquemas de favorecimento e, como disse o ex-presidente da Transpetro, braço logístico da Petrobrás, na gravação com o senador Renan Calheiros: ‘Nunca vi um Supremo tão merda’.



Em um país menos imperfeito, o STF seria dissolvido com as acusações que caem sobre seus membros. Na gravação, Renan Calheiros diz que os ministros do supremo estavam ‘putos’ com Dilma por conta de dinheiro. Renan diz na gravação que Ricardo Lewandowski, presidente do STF, foi ao encontro de Dilma e a Presidenta teria dito que pensava que o encontro seria de alto nível para tratar da conjuntura política, mas ele ‘só veio falar de dinheiro. Isso é uma coisa inacreditável’, disse Dilma a Renan.



O governo provisório tem no comando um presidente impostor que nomeou vários investigados para seu ministério, lhes dando foro privilegiado. Em menos de duas semanas o governo teve uma baixa no ministério. Romero Jucá, ministro do planejamento e articulador do governo, que é investigado na operação lava jato foi exonerado, depois da gravação em que desmonta a tese do impeachment e fortalece o objetivo do GOLPE. Jucá disse que o plano para barrar a lava jato teria como meta tirar Dilma e colocar Temer, só assim ‘estancariam a sangria’.



A Presidenta contrariou políticos quando vetou o financiamento empresarial de campanha; a FIESP, quando vetou a precarização do trabalho evitando as consequências da desproteção social; os corruptos, quando liberou a PF para investigá-los, além de não ter cedido às chantagens do ex-presidente da Câmara dos deputados, Eduardo Cunha.



Agora que o GOLPE foi revelado e a natureza corrupta desse governo exposta, não custa refletir sobre o contexto, analisar se o impeachment foi constitucional. Se não seria mais produtivo cobrar do Congresso que trabalhasse, que não emperrasse as pautas do governo, alimentando a crise para impopularizar a Presidenta diante da opinião pública, que agora, com a verdade descoberta, percebeu que era só para tirá-la do governo para barrar as investigações.



Mesmo consciente, desde sempre, de que a oposição trabalhava nos bastidores junto com a mídia e com o grande capital, incorporado nos interesses da FIESP; mesmo atento na defesa da democracia e apontando a injustiça histórica que se desenhava, sinto-me responsável pela crise que não criei, que não defendi; responsável pelas mãos fascistas que não apertei, pelos gritos racistas que não gritei, pelas camisetas amarelas que não vesti, pelos ‘pixulecos’ que nunca segurei. Sinto-me responsável pela vergonha que não sinto, pelo analfabetismo político que não tenho, por tudo, peço desculpas a Presidenta Dilma Rousseff.



Ricardo Mezavila. 









terça-feira, 24 de maio de 2016

Esparadrapo na democracia




Michel Temer, presidente provisório e impostor disse que, para quem o está chamando de 'frouxo', que foi secretário de segurança pública do Estado de São Paulo e que lidava com bandidos.


Esse tipo de comentário, totalmente desnecessário, ainda mais vindo de um presidente, interino, mas presidente, mostra o quanto Temer está desequilibrado e sem confiança.


Parecia mais uma auto-afirmação, um recado para quem afirma que ele é capacho de Eduardo Cunha, do que uma mera referência a um período em que tinha que ter pulso forte para estar no comando de uma secretaria tão complicada.


Michel tem demonstrado falta de conexão com as ruas e inacreditável ausência de senso crítico para montar um governo. 


Fosse Michel Temer comprometido com a democracia, não teria conspirado contra o governo e, assumindo, não teria montado um ministério de corruptos investigados.


Não tendo afeição ao povo, Temer pediu que os deputados e senadores que o apoiam, não deem ouvidos às ruas, aos movimentos populares. 


Sei não, mas esse presidente gambiarra não emplaca até 2018, mesmo porque ainda acredito que a Presidenta de fato, Dilma Rousseff, retorne ao cargo pelo bem da democracia.



Ricardo Mezavila.





Como agem os parasitas


A maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal, como ficou claro pela escuta telefônica do ex-ministro provisório Romero Jucá, faz parte da quadrilha que tenta manter o GOLPE na democracia.



Grave também foi sua colocação sobre as Forças Armadas, que estariam preparadas para qualquer ação e que estavam monitorando o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra.


A acusação sobre o senador e candidato derrotado às eleições de 2014, a eleição que não acaba, Aécio Neves, deixou uma interrogação com som de terremoto. 


Jucá disse que 'todos conhecem os esquemas de Aécio' e que 'se não pararem a Lava Jato, o PSDB iria para a bandeja e Aécio, o primeiro a ser comido'.


O STF parece alheio a tudo e mantém o silêncio diante de tanto barulho constitucional. 


Enquanto isso, o presidente impostor não pode ir às ruas porque é um GOLPISTA declarado e aloprado. Temer é rejeitado pelo povo, seus homens dos ministérios são investigados por corrupção.


Esse governo é um embuste, desonesto e entreguista. Não tenho dúvidas de quais são seus objetivos.

Quais são os esquemas de Aécio?


Ricardo Mezavila



































Tá feliz, pato?






A polícia federal, o MP e todos os órgãos da justiça estão fortalecidos depois que a Presidenta Dilma Rousseff apoiou as operações contra a corrupção.



Prova disso foi a gravação reveladora do ministro do planejamento, Romero Jucá que, claramente, disse que para obstruir a operação lava jato, só derrubando Dilma e colocando Temer.



Disso sabíamos e denunciamos desde outubro de 2014, quando a oposição, não conformada com as sucessivas derrotas nas urnas, partiu para o GOLPE parlamentar. Agora o ex-ministro provisório repicou aquilo que vínhamos dizendo: “Tem que derrubar o governo para estancar essa sangria”, ou seja, acabar com as operações e salvar suas peles. 


Parte da população que sempre viveu na acomodação política, mas que pediu 'fora Dilma', tinha que fazer uma reflexão para entender que a democracia foi violentada, que os meios de comunicação são parciais, assim não seriam manipulados novamente.


Esse governo provisório é uma vergonha, uma falta de ética, uma enorme farsa financiada pela FIESP, pelos setores conservadores e a mídia. Os integrantes desse governo GOLPISTA estão entrando pelas portas dos fundos em todos os eventos que participam, dentro e fora do país.



Espero que esse momento sirva para que as pessoas, antes de apoiarem movimentos desse porte, analisem os lados, leiam sobre a história e, principalmente, ouçam as opiniões divergentes. 



O risco de estar nas ruas de mãos dadas com fascistas, racistas, misóginos, neonazistas, gritando uma palavra de ordem, é uma possibilidade real. Se alguém tinha dúvidas sobre o GOLPE...





Ricardo Mezavila.

domingo, 22 de maio de 2016

Uma legião de Madalenas




Meu primo Rivaldo, atleta e socialista, postou uma frase mais ou menos assim: ‘Toda corrida é dolorosa, mas quem treina suporta a dor’. Devia ser o caso dos senadores, entre eles Cristovam Buarque que, segundo o ‘Correio de Brasília’, deve pedir anulação de seu voto a favor do impeachment porque está se complicando com a opinião pública.

Outro caso é do experiente jurista Hélio Bicudo que, segundo o Brasil 247, se manifesta contrariamente e reprova as nomeações de Michel Temer com a ‘mesma liberdade e o mesmo sentimento patriótico’. 

O Jornal do Brasil noticiou que o presidente do Senado Renan Calheiros sobe o tom e chama Michel Temer de conspirador. A guerra na cúpula do PMDB, com direito a bate boca em público questiona, além do presidente interino, suas lideranças no Congresso. Calheiros comparou Temer a ‘mordomo de filme de terror’.

A Folha de São Paulo alerta que Michel Temer produz ‘escândalos futuros’, principalmente pela indicação do deputado André Moura para o posto de líder na Câmara. O deputado é réu em três ações penais no Supremo Tribunal Federal e é o maior aliado do ex-presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha.

No site ‘Isso é Notícia’ o ministro da agricultura, mais conhecido como o ‘rei da soja’, Blairo Maggi, dono de uma forte empresa no ramo de agronegócios que, como senador, foi relator de emenda contra o licenciamento ambiental, disse que ‘não é justo acomodar índio e desacomodar uma família’. A frase está no contexto de sua declaração sobre a indenização, pelo Estado, aos produtores desalojados para demarcação de terras indígenas. Ué, índio não tem família, não? 

E para terminar mais uma postagem do sempre atento primo Rivaldo: “Governo veta aumento para aposentados. ‘Aê, dona Maria, tá feliz agora’?”.



Ricardo Mezavila.

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Da euforia à mediocridade


A ministra do supremo, Rosa Weber, pediu que a Presidenta Dilma explicasse o porquê do uso da palavra GOLPE em seus discursos. O artigo V, inciso IV da Constituição responde à ministra: "É livre a manifestação do pensamento”. Está claro que é uma tentativa de intimidação, de censura, para que o impeachment sobreponha ao GOLPE.

E, falando em golpe, parece que o mercado não está se comportando como apregoavam os carniceiros da economia do PIG, a bolsa afundou e o dólar disparou. 

Interessante que o mercado se 'assanhava' com notícias sobre o impeachment. O que deu errado? Será que Temer não é a carniça certa e tem mais um GOLPE na manga dos investidores?

O ministério de 'notáveis' corruptos não seria impedimento para a entrada de investimentos, aliás, falam todos o mesmo idioma. Então o que seria? Para que tanto empenho no afastamento de uma Presidenta honesta?

Talvez o anunciado corte nos programas sociais, o envolvimento de nove 'notáveis' ministros na operação lava jato, a ficha suja e a inelegibilidade do próprio presidente provisório, o governo paralelo de Eduardo Cunha que conseguiu, mesmo afastado, emplacar o deputado André Moura, que tem contra si uma suspeita de homicídio, na presidência da Câmara, sejam impedimento para que a economia tome fôlego.

Por outro lado, a mídia continua fazendo a sua parte, já são nove dias sem falar em crise, parece campanha da CIPA e dos alcoólicos anônimos. O PIG está em abstinência absoluta.

Ministra, pergunte ao mundo o porquê de chamarmos o GOLPE de GOLPE.


Ricardo Mezavila.

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Drummond não perdoaria Eremildo




Quem gritou 'Fora Dilma' tinha que aparecer para opinar sobre o fim do Ministério da Cultura; defender os ministros investigados, que agora possuem foro privilegiado. Igual à Lula, lembram?


Vocês que fizeram o papel de GOLPISTA útil tinham que assinar embaixo do 'uma ponte para o futuro', lutar pelo fim do SUS, pela privatização da saúde, levantar cartazes a favor do presidente gambiarra.


E por falar em saudade, onde anda você? Onde anda sua panela, sua camiseta amarela, suas selfies com PMs, seus memes idiotas, seus preconceitos, seu ódio?


Sabíamos que, com o GOLPE consumado, todos aqueles que se manifestavam conta a Presidenta Dilma voltariam ao túmulo onde jaziam, retornariam ao mundo dos mortos políticos.


O presidente provisório, em seu discurso de tomada de poder, disse que era para não falarem mais em crise. A mídia não fala mais em crise, e se a mídia não fala, a crise não existe.


Encontrei com Eremildo, o idiota, ele estava indo pagar seu plano de saúde, a faculdade particular e depois ia ‘encher’ o tanque. Ele disse que vai dar um "tempo da política”, que não adianta brigar porque nada vai mudar. Disse que é favorável à extinção do Ministério da Cultura, porque artista só quer saber da 'Lei Rouannet'(?).


Eremildo foi às manifestações pró-impeachment, postou fotos, disse que eu era ptralha, comunista, bolivariano. Eremildo me excluiu de seu grupo, ficou sem falar comigo e agora não quer mais saber de política.


Eremildo foi usado, programado para odiar o PT e não a corrupção; foi manipulado pela imprensa, reproduziu clichês e amamentou o GOLPE em seu peito inocente.


Carlos Drummond diria para Eremildo: 'E agora, José?' Se você tocasse a valsa vienense...


Ricardo Mezavila.

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Acabou, ôô, acabou!







A contradição e incoerência dos homens que assumiram o poder, depois que se instalou o processo do GOLPE, está chegando ao limite antes do prazo. 



Não bastasse a trapalhada ilegal que vimos na Câmara, Senado e Supremo, quando a Presidenta sem ser investigada, saiu para dar lugar a um bando organizado de réus, agora os dejetos começam a criar vida própria.



Vão saindo das privadas e começam a abrir a boca, um a um, mostrando suas formas, texturas e cores.



O ministro da educação votou contra os projetos que garantem a entrada dos brasileiros em dificuldade financeira nas Universidades. O ministro votou contra o ProUni, ENEM e FIES.



O ministro da justiça atuou como advogado de defesa da Transcooper, uma cooperativa que seria usada pela facção criminosa PCC para fazer lavagem de dinheiro. 



O ministro da fazenda fala em recriar a CMPF, fazer reforma radical na Previdência e na legislação trabalhista.



E agora, o ministro da saúde, que teve o grupo Aliança, uma administradora de planos de saúde, como maior doador para sua campanha para deputado, em 2014, disse em entrevista à Folha de São Paulo, que: “Quanto mais gente puder ter planos [de saúde], melhor, porque vai ter atendimento patrocinado por eles mesmos, o que alivia o custo do Governo em sustentar essa questão”. 



Já decretaram o fim do Ministério da Cultura, extinta pela primeira vez desde o governo do ditador Ernesto Geisel; Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos e Ministério da Justiça e Cidadania. 



Agora que a porta do galinheiro está aberta para a raposa, os programas da saúde como o SUS correm sério risco de fritura. Esse é o estado mínimo que eles propagam.


Ricardo Mezavila.



Fora do meio




O juiz político de primeria instância, Sérgio Moro, havia dito que trabalharia até dezembro e depois decansaria. Ainda estamos em maio e, ao que parece, esse 'juiz' partidário já saui de cena antes do previsto, deve está descansando depois de cumprir seu papel no GOLPE.

Os GOLPISTAS do judiciário são uma vergonha paras a instituição. O ministro partidário, Gilmar Mendes, disse que o governo podia enviar recurso ao papa e ao diabo, que a decisão estava tomada, o GOLPE estava consumado.


Ainda sobre o ministro Mendes: Arquivou as investigações contra o senador Aécio Neves, que é alvo de operações sobre propinas em Furnas, dias depois de ter aberto.

O governo está mudado, tem um presidente inelegível e ficha suja, sete intestigados pela operação lava jato, um ex-advogado do PCC, um ministro da agricultura contrário ao licenciamento ambiental, um ministro da esducação contra os ProUni, Fies e ENEM.

Avançar sem os movimentos sociais, pequenos agricultores, as minorias e sem a sociedade civil organizada, não é avanço, é retrocesso.

E a analfabetada política não larga de falar do PT, que é o vilão que todos gostam, enquanto isso os ratos fazem a limpa dentro de seus bolsos e a TV faz um estrago dentro de suas cabeças.

Tem quem esteja satisfeito só porque o atual presidente GOLPISTA, sabe usar o plural. Parecem índios se encantando com espelhinhos.

Ricardo Mezavila.

Quem abriu a porta?



Nada pode ser mais lesivo ao estado do que a ineptocracia desses que tomaram o governo pelo GOLPE parlamentar/ jurídico.

A farsa vai durar o tempo que a mídia for capaz de enganar parcela da população. Muitos continuam com as calças arriadas porque foram envenenados contra o PT, mas o veneno acaba.


O ministro da fazenda, Henrique Meirelles, deu uma coletiva e não explicou nada. O governo vai tomar medidas impopulares, agressivas e contrárias à classe trabalhadora.

A privataria GOLPISTA vai fazer do Brasil um grande mercado varejista em nome de um falso estado mínimo.

O senador GOLPISTA Cristovam Buarque disse que só aproveitou o impeachment, mas não colocou o Temer. É mais ou menos como a Suzane, ela não matou os pais, 'apenas' abriu a porta.

Ricardo Mezavila.

terça-feira, 17 de maio de 2016

O Brasil não é mais uma democracia




O presidente gambiarra está tendo dificuldade em montar seu staff. A produtora cultural Eliane Costa e a atriz e escritora Bruna Lombardi, recusaram convite para a nova secretaria de cultura em substituição ao extinto MinC.


Bruna despistou, como Diadorim, de "Grande Sertão", e disse que não tinha interesse em política. Eliane foi mais sincera e incisiva dizendo que não trabalha para governo GOLPISTA.


Hoje, terça, 17, a classe artística se reuniu no Teatro Oficina, em São Paulo, para uma mobilização contra o fim do Minc. O diretor Zé Celso disse que 'a cultura é a infraestrutura da vida, inspirou os direitos humanos, a luta pela igualdade da mulher e das etnias.'


As sedes do Minc no Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Ceará, Rio Grande do Norte e Salvador foram palco de manifestações de artistas que se reuniram em encontros e debates.


Em Cannes, na estreia de 'Aquarius’, a equipe e os atores, com presença de Sonia Braga, exibiram cartazes como 'Um golpe ocorreu no Brasil’, 'Resistiremos’, 'Brasil não é mais uma democracia’, e foram aplaudidos. O mundo já percebeu que vivemos as trevas de um GOLPE parlamentar.


Ricardo Mezavila.

A ordem é nossa e o progresso é deles



O logotipo do governo gambiarra remete a uma bandeira desatualizada do Brasil com vinte e duas estrelas, representando vinte e dois estados, como na época da ditadura militar, de 1964 a 1985.


A esfera azul da bandeira atual possui vinte e sete estrelas, que representam os estados e mais o Distrito Federal. As estrelas que figuram no logo representam a posição de como estavam no céu, na noite da proclamação da república, em 15 de novembro de 1889.


Vejo retrocesso nesse início de governo, mas o que advém de um GOLPE não se deve esperar muito.


A frase 'ordem e progresso' passa a ser o lema oficial para atender os conservadores, e cobrir o Vermelho dos movimentos sociais, dos intelectuais, estudantes, sindicatos e artistas.


Os 'patriotas' do governo gambiarra amam tanto a pátria que vão vender nossas empresas, farão os tolos acreditarem que o estado deve ser mínimo, que a CPMF é necessária, que a Petrobrás não é estratégica, que não precisamos do pré-sal que está comprometido com a educação e a saúde.


O Brasil do sofá tem esperança, acredita que os chifres do bode são arredondados e não ferem; acredita na homilia do teleprompter; acredita no romance entre o leão e o cordeiro. São preás dormindo em ninho de águias.



Ricardo Mezavila.

segunda-feira, 16 de maio de 2016

A ponte quebrada de Temer


A organização transacional sueca Wikileaks publica em sua página postagens, fotos e documentos confidenciais que, por alguma razão, acabam vazando.

Wikileaks propicia uma das contribuições mais importantes para a liberdade de expressão e transparência. Sua atuação é reconhecida e atraiu o interesse se jornais como The Guardian, Le Monde, El País, The New York Times.

Reportagem do dia 13 na Folha de São Paulo, diz que a organização afirmou que o presidente interino Michel Temer atuou como informante da Embaixada dos Estados Unidos em 2006, quando era deputado federal.

Temer, entre outras inconfidências, afirmou ao então Cônsul-Geral dos Estados Unidos que Lula, então Presidente, tinha um desempenho critico, que isso poderia levar o PMBD a disputar as eleições com candidato próprio, se tivesse apoio dos EUA.

No twitter o Wikileaks disse que Temer chegou à presidência através de um GOLPE parlamentar. Michel Temer além de investigado, inelegível, ficha suja, traidor, conspirador, também é informante.

Quem apoia esse governo não é a favor e nem contra a democracia; não é a favor e nem contra a corrupção. Foram programados para odiarem o PT, só isso.

Penso nos apoiadores desse governo GOLPISTA e lembro do frango da campanha da Sadia. A ave aparece na propaganda toda feliz, apresentando seus semelhantes mortos e embalados para o consumo. Acredito que isso seja uma nova definição para ‘coxinha’.



Ricardo Mezavila.

O 'mundo' feminino do machista





O presidente gambiarra Michel Temer disse, em entrevista ao PIG, que vai colocar alguém do 'mundo' feminino em seu governo. Isso após as intensas críticas que recebeu por estar tratando o governo como se fosse a Loja Maçônica, onde só homens entram, e a qual é membro do mais alto grau.



Que 'mundo' feminino é esse? O que o presidente interino quis dizer? Que vai levar uma cozinheira para preparar suas papinhas, uma manicure para aparar suas garras e uma faxineira para varrer seus dejetos?



Esse é o 'mundo' feminino na cabeça do presidente machista, em que a mulher vive na idade média, é preparada para os serviços domésticos e não para tomar decisões na vida pública.



O PIG perguntou ao presidente gambiarra se ele pensa na reeleição. Onde estamos? Eles agora querem esconder que Temer está inelegível e é ficha suja, tendo sido condenado pelo TRE de São Paulo. Temer não pode se candidatar.



Seu ministro da justiça, Alexandre de Moraes, em entrevista à Folha de São Paulo, disse que vai convencer o 'gambiarra' a não nomear para a chefia da PGR o mais votado de uma lista tríplice por integrantes da carreira.



Nos governos Lula e Dilma os mais votados sempre foram nomeados, tendo sido muito elogiado pelo Ministério Público, porque dá mais autonomia ao órgão. Agora vamos voltar aos tempos da prática do 'engavetamento' e da seleção investigatória.





Ricardo Mezavila.



sábado, 14 de maio de 2016

Voces merecem!





Vocês bateram panela, gritaram ‘fora Dilma’, foram para as ruas vestidos com a camisa da seleção e postaram selfies, copiaram memes falsos em suas redes sociais, chamaram seus amigos de bolivarianos, comunistas, só porque eles eram contra o GOLPE.

Vocês mandaram para Cuba os ‘ptralhas’, reproduziram as notícias do Jornal Nacional, falaram sobre o ‘fórum de SP’ sem conhecimento, aplaudiram quando o deputado fascista homenageou um torturador em plena Câmara dos deputados.

Vocês apoiaram o acampamento cinco estrelas em frente a FIESP, compraram o ‘pixuleco’e assinaram petição online pró-impeachment.

O governo que vocês odeiam está fora, não havia como governar com um Congresso covarde que não votava suas propostas, só as pautas bombas, que serviam para prejudicar ainda mais o frágil governo.

Um outro presidente assumiu e suas unhas já estão de fora, quer dizer, sempre estiveram, mas vocês não viam porque estavam contaminados por um ódio falsamente ideológico.

A composição desse governo que assume interinamente é de deixar qualquer cidadão de queixo caído. Ministro da justiça que mandou agredir professores e estudantes quando era secretário de segurança em São Paulo; ministro da agricultura que é contra o licenciamento ambiental; ministro da educação que votou contra o ProUni, Fies e Enem.

O loteamento dos ministérios, que vocês tanto reclamaram no Governo Dilma, está mais forte do que antes. Não tem técnicos apartidários, só líderes de partidos que apoiaram o GOLPE e que agora recebem seus quinhões em troca.

No governo tem de tudo, do rei da soja ao ladrão de merenda, só não tem mulheres e negros.
Vocês que foram contra a CPMF no governo Dilma, vão achar necessário nesse governo. 'Claro, sim, precisamos de transparência, o brasil precisa crescer' - dirão os estúpidos.

Enfim, os direitos dos excluídos como o bolsa família, minha casa, minha vida, sofrerão cortes substanciais, do jeito que vocês queriam.

Agora dizem que 'são todos iguais', 'todos são corruptos'. Só que vocês feriram algo maior, algo que vocês não valorizam.

Vocês feriram a Democracia!


Ricardo Mezavila.

Tudo está no seu lugar



Até que enfim, depois de quatorze anos, tudo está em ordem novamente. O negro na senzala, a mulher na cozinha e o corrupto no poder.

Tinha gente com saudades de não ouvir sobre política, incomodada em ter que saber que empresários corruptos estão presos.

Muita gente não gosta de ler nos jornais que famílias que vivem nos locais mais distantes no mapa, recebem algum tipo de auxílio. Fica indigesto ter que criticar o bolsa família de estômago cheio. 

Mas agora tudo está no seu devido lugar. Os apresentadores dos telejornais já pedem para a população ter paciência, que tudo é para o nosso bem, sacrifícios serão necessários.

Pronto, é isso aí, vão criar impostos bonzinhos, úteis e inofensivos. Podemos ficar tranquilos porque os homens que estão lá são competentes, são todos brancos.

Tudo está como antes, o negro na prisão, a mulher na cama e o corrupto no avião.


Ricardo Mezavila.

























sexta-feira, 13 de maio de 2016

O novo retrocesso





Durante o pronunciamento do 'novo' governo lembrei de Millôr: 'O Brasil tem um enorme passado pela frente'. Esse sentimento ficou ainda mais evidente quando foi anunciado que o 'novo' lema da pátria é o velho slogan 'Ordem e Progresso'.

Depois o presidente gambiarra 'inovou' dizendo que seu governo seria de salvação nacional. O velho método patriarcal que acomoda as ovelhas no cativeiro.

Na posse dos ministros a ‘novidade’ ficou por conta do silêncio da imprensa e dos 'revoltados'. Não ouvi nenhum deles comentar, como fizeram quando Lula foi nomeado Ministro, que ali estavam sete investigados que passariam a ter foro privilegiado.

Além dos investigados, fazem parte do ministério um ex-advogado do PCC, na pasta da justiça; e o relator da PEC que impede interrupção de obras através de licenciamento ambiental, que ficou com a pasta da agricultura.

Outra 'novidade' foi o loteamento do poder, tão combatido no governo da Presidenta. Não vimos técnicos apartidários nos ministérios, mas políticos aliados que defenderam o GOLPE e, que agora, recebem seus quinhões.

Sem mulheres nos ministérios, fica evidente que a mulher que esse governo admira não é a guerreira, a intelectual, aquelas do governo Dilma, mas a acompanhante, como Marcela Temer, bonita, loira e muda, a mulher ideal, na visão machista desse governo, para exibir em eventos públicos, ou seja, mulher objeto.

Sinais dos tempos: O ministro Gilmar Mendes abriu inquérito contra Aécio Neves que está na lista de recebimento de propinas de Furnas e, logo após a posse do governo gambiarra, suspendeu as investigações.

Os deputados aliados ao governo GOLPISTA estão elaborando uma lei, para ser votada na Câmara, que configurará crime falar mal de políticos na Internet. É o retrocesso voltando no rabo da censura.

Depois de Millôr, lembrei de Caetano: “Será que nunca faremos senão confirmar a incompetência da América católica, que sempre precisará de ridículos tiranos’”.



Ricardo Mezavila

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Isso é só o ensaio





Em menos de doze horas no governo, o presidente GOLPISTA Michel Temer, nomeou sete ministros investigados pela lava jato que passam a ter foro privilegiado; nomeou para ministro da justiça o ex-advogado do PCC e, isso é só o ensaio, o ministério das cidades anunciou que as prestações do Minha Casa, Minha Vida, terão acréscimo de 237% em julho.



Não tem nada de novo nessas medidas para quem conhece o modelo neoliberal. E, na verdade, não estão fazendo nada às escondidas. Qualquer cidadão interessado tinha o projeto "Uma ponte para o futuro", disponível na Internet.



O tucano José Serra enviou projeto para o senado, que foi aprovado, determinando o fim da participação obrigatória da exploração do pré-sal pela Petrobrás.



O caminho para a privatização do pré-sal está pavimentado e o governo GOLPISTA e entreguista não vai pestanejar em executar sua venda para alguma gigante multinacional do petróleo. A Shell, talvez.



Na página 10 do 'uma ponte...', está escrito que os salários e benefícios previdenciários serão desindexados. O Congresso é que decidirá os novos reajustes. 



Vamos ter que conviver com os homens brancos e ricos, que usam broches nos ternos como um código, um sinal corporativo, um brilho opaco na escuridão do golpe.







Ricardo Mezavila.

OMG





Parece que o terceiro turno das eleições de 2014 começou, só que sem o nosso voto, sem urnas e sem legitimidade. Os votos serão dados pelos senadores, em sua maioria da aliança derrotada nos dois turnos anteriores.

Por enquanto assume um presidente traidor, farsante, inelegível pelo TRE de São Paulo e, para completar, citado e investigado na operação lava jato e, só mais um pouquinho, ficha suja.


Esse é o candidato que está vencendo o terceiro turno e vai governar até 2018. Michel Temer cai como uma luva para as pretensões de Aécio Neves, porque não pode se reeleger, já que está inelegível por oito anos.


Como entender um 'troço' desse, um aborto político dessa natureza. Triste constatar que tudo foi feito às claras, na nossa frente, e muita gente não percebeu e apoiou o golpe, tornando-se assim, golpistas de ocasião.

Sai uma mulher apoiada pelos movimentos sociais, que não cometeu crime, que deu espaço para que a justiça trabalhasse como nunca, basta comparar o número de operações e prisões nos governos anteriores.

Entra um homem que é membro do mais elevado grau de uma seita, onde só homens são aceitos, misoginia pura, e que vai governar para um seleto grupo que se comunica através de sinais secretos.


Oh, my God!

Ricardo Mezavila.

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Tchau, querida!



                                                 

Hoje é o dia da sessão 'histórica' no Senado que vai decidir se o processo de impeachment continua. Se sim, a Presidenta Dilma será afastada e assume o vice Michel Temer.

Temer foi condenado pelo Tribunal Regional Eleitoral - SP, por doações pessoais de campanha, o que o torna inelegível por oito anos e escreve em seu currículo um retumbante Ficha Suja.

Isso seria estranho se não fosse no Brasil derrotado dos tucanos, mas é coerente com o raso aprofundamento político do nosso povo.

A posse de Michel Temer é algo incomum, insólito e único. Pela primeira vez um Ficha Suja inelegível assume a presidência da república.

A parcela da população que pediu a saída da Presidenta Dilma merece Temer e sua 'ponte para o futuro'.

A sessão será histórica pelo lado negativo, pela vitória do GOLPE, da ascensão dos vampiros, dos homens sombrios que articulam na madrugada.

Será histórica porque os heróis dos livros não são mulheres, não são negros, não são pobres. Os pseudos heróis dos livros são homens brancos e ricos, como vosso futuro inelegível presidente.

Dilma Rousseff, receba o meu abraço por tudo o que você representa para a história das lutas populares, dos movimentos sociais, para os núcleos de defesa dos direitos das mulheres, das sociedades indígenas e da população marginalizada.

Até breve, querida!

Ricardo Mezavila.



terça-feira, 10 de maio de 2016

Ecos do golpe


A Organização das Nações Unidas divulgou nota de apoio a Presidenta Dilma Rousseff, conclamando a sociedade brasileira a respeitar o resultado das urnas, sob o risco de desestabilizar a democracia em todo o continente.



Há muito a discussão interna deixou de ser partidária, de grupos contra e pró-impeachment. Apesar de ainda existir apoio fomentado pela mídia, muitos adeptos ao GOLPE já perceberam que o que está em jogo é algo muito maior do que os clichês podem alcançar.



O grupo que vai assumir a nação é conhecido, não passa credibilidade. Não há um só do alto escalão de Temer, inclusive o próprio, que não responda a um processo. Ao contrário de Dilma, que não responde a nenhum.



O mundo olha para o Brasil e não consegue entender o enredo. Fica difícil acreditar que um país emergente como o nosso esteja sendo levado para um GOLPE rasteiro de forma tão explícita



Os GOLPISTAS tanto fizeram que conseguiram transformar o país em chacota mundial. Os mais importantes jornais da Europa e das Américas classificam de 'inacreditável' uma presidente ser destituída de seu mandato por parlamentares 'fichas sujas'.



A nota termina com o seguinte parágrafo: "É por isso que nos choca ver, hoje, antes de sentenças ou provas, servindo-se de vazamentos e de uma ofensiva midiática linchatória, que se tente demolir a sua imagem e o seu legado, ao mesmo tempo em que se multiplicam os esforços para reduzir a autoridade presidencial e interromper o mandato que os cidadãos lhes deram nas urnas”.



Ricardo Mezavila.


Onde é que você não foi?

Nada mais crível para explicar a atual conjuntura do que o 'Samba do crioulo doido', de Sérgio Porto. O 'crioulo endoidou de vez' com tanta informação cruzada, um disse-me-disse, 'vaivém' e 'vem cá minha puta', que o crioulo se complicou.


É impeachment ou é golpe? Teve crime de responsabilidade ou não teve? O relator podia ter escrito o relatório, ou não? Quem preside a Câmara é um deputado, ou é o presidente do Senado?


A Suprema Corte é uma coisa desengonçada, não tem credibilidade judicial, portanto é nula. Seus ministros são capachos de governadores e afins.


A plebe assiste os horrores de uma peça bufa encenada por atores paparrotados. Parece que retroagimos aos piores tempos da monarquia, onde só prevaleciam os interessses da Coroa.


Estamos bestializados com a falta de princípios, escancarados, que há por trás dessa estranha política fisiológica.


A corrupção é uma metástase que não mata, um estado terminal que não termina, uma doença que se fortalece com a dor, um cadáver vivo, um esqueleto com pele.




Ricardo Mezavila.

segunda-feira, 9 de maio de 2016

A chama olímpica e a democracia



O ex-padre irlandês Cornelius Horan tentou interromper a corrida do maratonista Vanderlei Cordeiro de Lima, enquanto este liderava a prova na olimpíada de Atenas, em 2004. Polyvios Kossivas, o grego que assistia a prova, ajudou Vanderlei a se livrar do agressor e a concluir a maratona.

Doze anos depois, o símbolo Olímpico chega à Brasília. A Presidenta Dilma Rousseff acendeu a Tocha no Palácio do Planalto, dando partida a um roteiro de 95 dias que percorrerá 327 cidades, das cinco regiões do país. A chama Olímpica evoca a lenda de Prometeu, que teria roubado o fogo de Zeus para o entregar aos mortais.

Maratona é uma planície e uma cidade próxima a Atenas. Em 490 a.C., ali se travou uma batalha contra a Pérsia vencida pelos gregos, onde o que estava em jogo era a recente democracia grega.

As corridas denominadas ‘maratona’ vêm de uma possível lenda onde um soldado de nome Fedípedes, foi destacado para avisar aos espartanos, sobre o desembarque dos persas em terras gregas. Ele atravessou correndo a distância de 40 KM que separam Atenas de Esparta, durante dois dias, deu a mensagem e morreu do coração.

Que a atmosfera Olímpica, agora que a Tocha viaja por nosso território, contamine a política e as pessoas, que todos possam competir respeitando as diversidades e o contraditório.

Que os ‘Cornelius’ do caminho, caso apareçam, sejam repreendidos pelos ‘Polyvios’, para que a democracia possa percorrer o longo percurso da maratona sem percalços, com a resistência de Fedípedes e a determinação de Vanderlei.


Ricardo Mezavila

Cunha, o 'boi de piranha'





Avaliar a cassação de Eduardo Cunha nesse momento pelo Supremo Tribunal Federal, parece um exercício de incoerência, de contradição e de fisiologismo. Desde sempre, exigimos que o presidente da Câmara dos deputados fosse afastado e até preso, agora que o ministro Teori Zavask fez a condenação, a sentença veio com gosto de ‘cerveja velha’, com cheiro de presunto estragado.

Eduardo está há meses manobrando nos bastidores, executando, sujando suas mãos com a parte mais sórdida e suja da trama. Deu sua cara ao impeachment quando resolveu vingar a falta de apoio governista no Conselho de Ética.

Durante as manobras parlamentares, Cunha foi alvo de investigações, até pelo Ministério Público da Suiça, que o acusou de manter contas nos bancos de lá, tendo entregado toda a documentação do crime ao Ministério Público brasileiro.

Mesmo com todas as evidencias e tendo se tornado desafeto público, o deputado continuou embaralhando e dando as cartas, jogando os dados, escolhendo suas parcerias e blefando. Tudo sob os olhares passíveis do Ministério Público e do Supremo, que bocejavam enquanto o ladrão revirava a casa.

Partidos como PMDB, partido de Cunha e Temer, e o PSDB, partido do derrotado Aécio Neves, colocaram outros partidos expressivos como o DEM e o PP no bolso, e se fecharam na Câmara e no Senado para barrarem medidas do governo, para que esse caísse na ingovernabilidade e impopularidade, abrindo assim uma crise política com efeitos na economia e nos serviços.

O governo ficou sem saída e Eduardo Cunha cumpriu seu papel antipatriótico com eficiência. Agora, que o leite foi derramado, que a Inês é morta, que a destituição da Presidenta do cargo, sem ter cometido dolo, é inevitável, o Supremo entra no jogo e apresenta sua trinca de cartas marcadas.

A política entrou para o debate público de uma forma indigna, meio que torcida organizada. Soltaram fogos porque um representante da Câmara dos deputados foi cassado, isso é vergonhoso, era para chorar, rezar, sei lá, menos comemorar.

Fato é que Eduardo Cunha foi jogado às piranhas, a caravana do GOLPE vai passar sem riscos, vai atravessar o rio e decidir ilegitimamente, sem voto e sem moral, o destino de uma nação, com a pecha do entreguismo neoliberal paulista.



Ricardo Mezavila.