Pode entrar,o Blog é seu! Welcome to Blog! Since 30 july 2011

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

De gafes e de mitos


Bem aventurados os que cometem gafes, pois seríamos meio máquinas se não cometêssemos deslizes na língua e no comportamento. Nos últimos dias vimos o secretário estadual de cultura do Rio de Janeiro, em pleno microfone na ALERJ citar Bertoldo Brecha, personagem interpretado pelo ator Mário Tupinambá, que fez sucesso na TV com o bordão: “Veeeenha!” O secretário queria se referir a Bertold Brecht, dramaturgo e poeta alemão e um dos mais importantes do século XX.

Algumas gafes se tornaram comuns, como o repórter que não sabe que está ‘NO AR’ e aparece diante das câmeras penteando-se ou fazendo algum comentário fora da pauta; o âncora de telejornal que boceja ao vivo, ou solta um palavrão; o apresentador que escorrega e cai no palco. Com a ‘patrulha’ da internet, essas gafes se transformam instantaneamente em memes, que logo viralizam nas redes sociais.

A indiscrição involuntária é bastante presente em viagens, quando o turista está pouco informado sobre os costumes, a história e lugares. Por exemplo, no Irã, fazer sinal de positivo com o dedão é o mesmo que levantar o dedo médio por aqui; estalar os dedos para chamar a atenção, é gesto para cachorros, na França; apontar a sola do pé no Líbano e em outros países árabes é considerado ‘afronta’, por isso nunca sente e apoie o calcanhar sobre o joelho. É bom seguir o velho ditado: “Em Roma, faça como os romanos”.

As gafes são tão importantes quanto os mitos, utilizados pelos povos antigos para explicar fenômenos não compreendidos. Na civilização atual o conceito de ‘mito’ deixou de ser a simbologia de personagens sobrenaturais, deuses e heróis. Para ser mito basta ter uma conta em uma rede social e conquistar milhões de seguidores engajados naquilo que ele, o ‘mito’, diz, pensa e, às vezes, faz.

Ricardo Mezavila é escritor





domingo, 12 de novembro de 2017

Entrevista com Eremildo, o idiota, para o Blog PósTumo.


Encontramos Eremildo em um barzinho, para um rápido bate papo.

Blog: Eremildo, como vai a vida depois do impeachment?
Eremildo: Tudo indo. A economia está se recuperando, a inflação caiu... novos horizontes.
Blog: E os casos de corrupção dentro desse governo?
Eremildo: Estão sendo investigados. A Lava Jato veio para colocar esses corruptos na cadeia.
Blog: Você acha que Lula vai ser preso?
Eremildo: Já devia estar preso. Sergio Moro tem todas as convicções de que ele é dono do tríplex do Guarujá. Tem as provas lá...aquele... aquela... aqueles depoimentos daqueles empresários da Odebrecht. Isso tudo é fato, está na imprensa, é verdade sim.
Blog: Você está falando sobre domínio do fato?
Eremildo: É lógico. Os procuradores estão investigando a Mel, a cadela da dona Marisa (risos)... ela foi picada por cobra no sítio de Atibaia... o que você deduz? Se até a cadela da dona Marisa (risos) frequentava o sítio....  não há a menor dúvida de que o sítio é da família do Lula.
Blog: Você não acha que a justiça tinha que ser mais imparcial com o PSDB?
Eremildo: A justiça é igual para todos. Falam que a justiça persegue esse ou aquele partido, mas não vejo assim, não. Aécio foi afastado, Geddel preso, Cunha tá na cadeia. Não vejo parcialidade que alguns blogs dizem. Assim como Ruy Barbosa, eu acredito na justiça justa.
Blog: Ruy Barbosa disse isso?
Eremildo: Assim como Odorico: se não disse, devia ter dito.
Blog: Eremildo, como você vê o cenário político para 2018?
Eremildo: Olha, você tem um leque de opções: Bolsonaro, Dória, Huck, Meirelles, Alckmin, Serra, Marina, Cristovam Buarque... nomes para governar nós temos, e muitos, Agora, o povo tem que entender que política é a arte de fazer sacrifícios.
Blog: Entre esses que você citou, em qual você votaria?
Eremildo: Primeiro eu vou esperar para ver quem vai estar na disputa. Quero um candidato com força suficiente para acabar com o partidarismo nas escolas, com a imoralidade nas artes, que coloque a educação religiosa no currículo de nossas crianças para resgatar a fé na família, em Deus, nos princípios religiosos e dos bons costumes. Sabe, eu tenho saudade do tempo em que minha mãe não precisava trabalhar, ficava em casa cuidando dos filhos, cozinhando para a família, Naquele tempo os homens eram menos tensos e as mulheres mais submissas e conformadas.
Blog: Mas o conformismo e a submissão não são condições para a felicidade.
Eremildo: Muita gente diz isso, mas se você olhar direito, vai ver que quando se começa a pensar sobre coisas que tiram a sua atenção do propósito da família, aí a pessoa começa a se angustiar e, uma tarefa simples, se transforma em algo complicado. Precisamos preservar a inocência em alguns casos e para algumas pessoas.
Blog: Sobre as reformas que o governo tem implementado, como você vê?
Eremildo: São necessárias e vieram tarde. O trabalhador brasileiro tem muitos direitos e poucos deveres. O empresário tem de arcar com tributos altíssimos e acaba ficando refém dele mesmo. Os trabalhadores precisam dar mais, precisam entender que o país foi reduzido nesses últimos 13 anos de governo petista. Antes que você me pergunte, eu também sou a favor do estado mínimo, precisamos privatizar porque essas empresas são antro de corrupção. O estado tem de ser mínimo e focar apenas naquilo que é essencial.
Blog: Você não acha o setor energético essencial?
Eremildo: De certa maneira, não. Se o governo tem de manter uma empresa, no caso a Eletrobrás, que é um reduto de corruptos, não vejo lucratividade e nem estratégia nisso. É melhor vender para quem sabe administrar e empregar o dinheiro da venda em segurança, que é o maior dos nossos problemas. A sociedade está cansada de ser assaltada, ninguém tem mais a liberdade de sair à noite com a família para comer uma pizza. Aqui mesmo, nessa mesa em que estamos sentados, já presenciei vários assaltos naquele sinal ali. Mas o cidadão não pode portar armas de fogo... olha, eu já teria acertado uns vinte desses moleques se pudesse.
Blog: Já que você falou sobre segurança, o que mais te incomoda quando anda pelas ruas?
Eremildo: Com certeza são as crianças vagando pelas calçadas. Lugar de criança é na escola, mas quando os pais permitem que elas fiquem vagando, pedindo, essas coisas, aí o lugar delas é o Padre Severino. A gente tem que cortar o mal pela raiz, assim se combate a violência. Nossos filhos precisam sair para as baladas com os amigos e a gente tem o direito de deitar e dormir tranquilamente. As crianças abandonadas de hoje são os bandidos de amanhã.
Blog: Mas o estado não existe para protege-las? Não tem o Estatuto da Criança e do Adolescente?
Eremildo: Nada. A responsabilidade de educar é dos pais. Esse negócio de ECA, direitos humanos, isso é uma invenção para proteger marginal. Hoje o que se vê é muito mimimi disso, mimimi daquilo... menino brincando de boneca, menina jogando futebol... depois o que a sociedade cria? Homens pensando igual mulher e vice-e-versa. A bíblia explica o que é ser homem de verdade.
Blog: E por falar em bíblia, o que você pensa sobre a ascensão dos evangélicos na política?
Eremildo: Bem, eu não sou evangélico, aliás, eu não tenho hábito de frequentar cultos com regularidade, mas respeito todas as religiões, menos aquelas que se dizem religião, mas são orgias africanas. Ora, se eu quero que a família seja resgatada, é claro que apoio a ascensão dos evangélicos na política. Sabe, tá faltando a palavra de Deus para muita gente, principalmente para setores esquerdopatas da nossa sociedade.
Blog: Eremildo, para finalizar vamos de bate bola? Música?
Eremildo: Sertaneja e gospel.
Blog: Esporte, personalidade e lazer?
Eremildo: MMA e fórmula 1 ; Mussolini; caça e pesca.
Blog: Para terminar, uma frase.
Eremildo: “Que sorte para os ditadores que os homens não pensem”
Blog: Essa frase é do....

Eremilso: Ele mesmo (risos) Adolf Hitler.

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Infeliz classe média





O Brasil está acabando nas mãos desses golpistas. Estão entregando o solo, o pré-sal, os santuários na Amazônia,as empresas estratégicas de energia e os satélites.


O Brasil vai ficar nas mãos das empresas estatais de outros países, isso é inadmissível. Os neoliberais que votaram em Aécio Neves em 2014, os analfabetos políticos, apostam no Estado menor, dizem que as empresas nacionais não são produtivas.


Se elas não são produtivas, por que a China, os EUA, a Noruega se interessam por elas? A classe média jogou no lixo a nossa soberania. Diziam: "nossa bandeira jamais será vermelha". O que vão dizer quando a bandeira vermelha da China estiver no topo de uma empresa entregue à sua admnistração ?


Por que a classe média? Porque foi ela, com sua capacidade de formadora de opinião, que incentivou os viciados em selfies, os doutrinados da mídia mercenária, os seguidores do MBL, a irem às ruas vestidos de CBF, pedir a consumação do golpe.


Agora a classe média não tem mais vergonha de mostrar o que realmente pensa (?), vomita suas opiniões fascistas sem cerimônia. A classe média promove o racismo de classe, mas a cegueira social a impede de perceber que ela também é massa de manobra útil.


A classe média é escrava e se sente feliz em comer migalhas, se sente superior, enquanto é manobrada para que o trabalhador operário, o camponês e os excluídos não tenham o que colocar na mesa.


RIcardo Mezavila.

terça-feira, 31 de outubro de 2017

O Vulnerável de Almeida



Caetano Veloso tentou se apresentar para uma plateia de homens, mulheres e crianças, que estão na ocupação Povo sem Medo, em São Bernardo do Campo, promovida pelo Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto,

O show foi anunciado em redes sociais, mas não solicitaram autorização da prefeitura, que negou a sua realização por total falta de estrutura. Certo ou errado? Aqui a questão ideológica vai vir sempre antes da legal, ainda mais por envolver um movimento significante e um artista da qualidade do compositor baiano.


Com a proibição, vieram os comentários de uma parte da população que é vulnerável ao tempo da cultura, ou não se importa com isso. Parece que, definitivamente, uma nave desceu na Terra com alienígenas que aqui vivem sem memória, sem apreço ao desenvolvimento da nossa civilização.

Como não foram criados em nenhuma cultura humana, os alienígenas ocuparam as redes sociais para se comunicar de maneira aleatória. Não pode ter vindo de alguém criado em território brasileiro, que aparenta quarenta e cinco anos o comentário : " Caetano, você tem que trabalhar, vagabundo"

As recentes reações carregadas de preconceito, como na invasão na UERJ para protestar contra aula sobre o centenário da Revolução Russa; as intervenções nos museus contra a arte contemporânea; as manifestações de ódio contra partidos políticos de esquerda, isso tudo demonstra o grau de analfabetismo sobre as relações humanas.

O Vulnerável de Almeida é presa inerte e passiva para receber todo o tipo de veneno injetado pelos donos do mercado, travestidos de políticos, de juízes e desse gentio que apascenta suas ovelhas na mídia e nas igrejas.

RIcardo Mezavila.

Solidariedade ao MTST

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Algumas lições para serem tiradas do golpe:





Temer:
Podia ter aceitado a vice-presidência, se pouparia da impopularidade recorde de um presidente da república; não estaria pressionado como está, ao ponto da saúde bater pino; podia ter curtido mais a Marcela e o Michelzinho, a grana do Joesley e os privilégios do cargo.


Aécio:
Depois de nós, é o maior derrotado de todos. Conseguiu 51 milhões de votos porque ninguém sabia que ele era um bandido perigoso. Podia ter vivido mais intensamente sua vida de playboy, a grana do Joesley. Em 2018 seria eleito presidente, mas preferiu jogar todos os seus votos no lixo, e ainda contaminou seus eleitores com o ódio ao PT. É um morto politicamente.

Moro:
Totalmente desmoralizado perante a comunidade jurídica. A perseguição ao ex-presidente o transformou em uma figura patética, um borra botas dessa geringonça chamada lava jato, que é controlada pelo mercado internacional, com sócios em nosso território. Podia ter curtido mais a grana do Joesley, mas quis ser pop star. O livro sobre sua biografia está encalhado; o filme não encheu nenhuma sala.

STF:
Ridicularizado. A suprema côrte tupiniquim é um antro de corruptos, serviçais da grana do Joesley e dos interesses do capital em geral. Usam a toga para obstruir a justiça, blindar e favorecer seus financiadaores, além de dificultar a vida daqueles que se levantam em nome da população.

Congresso:
Um ninho de ratos atrás das migalhas da grana do Joesley.

Coxinha:
Alguns ainda não acordaram do pesadelo do Golpe. Foram manipulados, muitos na inocência, pelos interesses dos Golpistas; massa de manobra, analfabeto político, paneleiro que agora não se manifesta com os absurdos do governo atual. Estão mudos porque não têm voz, são repetidores da opinião de seus algozes. E o pior, sem desfrutar de um centavo da grana do Joesley.

Dilma:
Como todos sabíamos, não cometeu nenhum crime. Foi deposta para que 'parassem a sangria' da lava jato. O Golpe serviu para blindar os corruptos que estão agora entregando o país. Está em primeiro nas pesquisas para o senado em Minas Gerais.

PT e Lula:
Só fazem crescer.

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Respingos cristãos criam poças satânicas








Com a corrida presidencial esquentando seus motores, percebe-se uma tendência entre esquerda e extrema direita, ainda mais acirrada do que a direita do tucanato nas últimas eleições.

Aquela população que apoiou o Golpe contra a democracia, no caso do impeachment, flutua ao sabor da mídia e da ventania conservadora que se estabeleceu com a ascensão das vozes vindas das redes sociais.


O atual governo vai chegar ao fim sem credibilidade e incapaz de interferir no pleito. Aqueles que apoiam o atraso que é o governo Temer, como os tucanos, também não farão um candidato capaz de concorrer com chances.

O clima é favorável para o surgimento dos 'salvadores da pátria'. Gente que ainda não entrou para a política efetivamente, e que afina o discurso daquele que não tem participação em nada, sem culpa pelo que está aí.

Acontece que as coisas não são assim, tão simples. Cresce, exponencialmente, a campanha de candidatos apoiados pelas igrejas evangélicas. São candidatos da extrema direita que são favoráveis a pena de morte para menores infratores, mas são contra o aborto; cospem no altar quando discriminam pessoas por idelogia de gênero; não respeitam a diversidade e, muito menos, os direitos humanos.

São esses candidatos, com o apoio dos senhores pastores, que crescem nas pesquisas e ameaçam, de uma vez por todas, a Constituição e o estado democrático de direito.

Ricardo Mezavila

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Em cartaz: 'Obsessão'






O nome é lava jato, mas o filme podia se chamar 'Obsessão', porque foi feito em cima da obsessão que o judiciário, a extrema direita e milhões de midiotas têm por Lula e pelo PT.

Na pré-estreia para convidados, a plateia 'morreu' de rir da cena que mostra o grampo criminoso da conversa entre Dilma e Lula. Entre os comensais estava a estrela do filme: Sérgio Moro.

A que ponto essa manada escrota chegou. Conscientes de que o filme não é uma peça de arte, que só foi realizado para perseguir Lula e o PT e agradar aos 'suínos', esconderam o nome do patrocinador.

Isso aí, o filme não dá crédito a quem financiou. O realizador da bosta não aparece porque o recurso, provavelmente, vem de algum órgão público.

O elenco é composto por aquela parcela tosca que frequentou os palanques da extrema direita no episódio do GOLPE.

Enquanto eles riem da nossa cara, Lula e o PT vão firmes e fortes na Caravana pelo Nordeste com momentos incríveis de emoção, recebendo carinho, apoio e a certeza de que essa obsessão é fugaz.



Ricardo Mezavila.



terça-feira, 29 de agosto de 2017

Branca de neve e a princesa negra




É comum, em uma discussão étnica, alguém usar da literatura e das artes em geral, para fazer comparações sobre os espaços ocupados por negros e brancos e os papéis que desempenham.

Está em cartaz a comédia "Deu a louca na Branca", com Cacau Protásio protagonizando uma Branca de Neve negra. O texto fala dos problemas da sociedade brasileira por meio de uma personagem fora dos padrões estabelecidos.

É uma estratégia muito batida que utiliza do senso comum de que toda princesa é branca, para contrariar a regra e 'pichar' nos velhos muros dos clichês.

A crítica é interessante, mas frágil. O estigma da princesa branca, loira e com os olhos azuis dos contos, deve-se à origem de seus criadores, na maioria europeus que, privilegiados, podiam estudar e escrever.

Para lá do 'Era uma vez...', princesas de verdade vivem em países menos cobiçados pela estética ocidental, como a princesa nigeriana Arewa Folashade Adeyemi, da família real de Oyo, região no sudoeste do país africano, que recebeu, recentemente, a medalha Pedro Ernesto da Câmara Municipal do Rio de Janeiro.

Quantas princesas e príncipes africanos foram capturados e trazidos para cá e aqui escravizados? Quem pode garantir que um de nós não seja descendente da realiza africana?

Caso interessante, mas longe de ter sido um conto de fadas, foi o de Sarah Culberson que vivia com a sua família adotiva em West Virginia, até descobrir que seu pai biológico era membro da família real da tribo Mende na província do sul de Serra Leoa. Ela era na verdade uma princesa e foi convidada a conhecer sua família na África, criando lá uma Fundação para ajudar a reconstruir escolas destruídas na guerra civil.

De princesas e de príncipes o Brasil está cheio, só que longe dos roteiros fictícios, do radar social e do portão do palácio.

Ricardo Mezavila.


domingo, 6 de agosto de 2017

O Brasil de Temer






O Brasil de Michel Temer é, de saída, um país triste. A alegria saiu de cena, a esperança foi sepultada. As mãos dos ladrões embalam o berço esplêndido, açoitam o corpo do gigante que sonha com o fim da fraude.


A foice, símbolo do trabalhador camponês e o martelo, símbolo do trabalhador operário, foram feridos pelas reformas patronais na CLT e com a da Previdencia que estar por vir.


O Brasil de Michel Temer é sombrio, gelado, soturno, calado, sorrateiro, mocozado e careta. Muitos de nós, do povo, que tiramos a eleita Rousseff, somos assim também.


Trocamos a democracia tão valiosa, que nos custou tantas vidas, por uma sociedade sinistra de homens machistas, preconceituosos e que se comunicam através de sinais ocultos.


O Brasil de Michel Temer é rico para o rico e pobre para o pobre. Não tem meio termo, isso é isso e aquilo é aquilo. Homem é da rua, provedor e mulher é da casa, submissa, não há espaço para a discussão de gênero.


Apeamos da cadeira uma mulher e sua equipe democrática e colocamos um homem autoritário e sua equipe de estelionatários.


O Brasil de Temer não tem música, poesia, artes plásticas, dança e todo o tipo de cultura. É um governo de párias, vendidos e entreguistas.


O Brasil de Michel Temer não é o meu Brasil - preservado em toda a sua exuberânica estética e criativa - e o de milhões de brasileiros, que não navegam nessas águas sujas de dejetos políticos, onde pescadores de ocasião atiram seus anzóis para fisgar inocentes úteis.


Ricardo Mezavila.

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Perseguindo Lula




Sei lá quando, mas ouvi uma frase de um personagem que fazia o papel de um fugitivo. Ele, ao ser questionado se viver fugindo era muito complicado, disse que não, que como fugitivo ele podia ir para qualquer lugar, complicado era a vida de quem o perseguia.

A vida dos 'perseguidores' da internet é mais ou menos assim, em relação ao Lula. Não se encontra nenhuma linha ideológica, ou minimamente coerente com a insistência dos anti-lulistas, que sem argumentos, reproduzem preconceito, ódio e ignorância.


Não importa se o governo Temer e seus asseclas congelaram investimentos na educação e saúde por vinte anos; lotearam o pré-sal para multinacionais; derrotaram os trabalhadores com uma lei que beira a revogação da lei Áurea; elevaram o tempo de contribuição previdenciária para dificultar a aposentadoria.

Os perseguidores de Lula não estão nem aí para as retiradas de direitos; não estão nem aí se o Supremo Tribunal Federal enfia seu dedo sujo no rabo da justiça; não estão nem aí para as confissões de crimes dos tucanos; nem aí para a justiça parcial e seletiva. O que importa é condenar e ineleger Lula.

Sobre figuras exponenciais da vida pública que entraram para a história, lembro de Mahatma Gandhi, condenado pela justiça por lutar pela libertação da Índia; de Mandela, condenado pela justiça por lutar contra a segregação racial na África do Sul; de Pepe Mujica, condenado pela justiça por lutar contra a ditadura militar no Uruguay; de Milagro Sala, condenada pela justiça por lutar pela retirada de direitos sociais na Argentina.

Os perseguidores são limitados intelectualmente, não produzem, são parasitas guiados, hospedeiros de ideias e atitudes perigosas que fortalecem, dão voz aos fascistas e não percebem, ou não ligam,o que é pior, de servirem de massa de manobra.

Ricardo Mezavila. ☯️☮️☪️